2 de agosto de 2018 - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

2 de agosto de 2018

LITURGIA DIÁRIA > 2018 > AGOSTO
2 de Agosto de 2018


XVII SEMANA DO TEMPO COMUM (Verde – Ofício do Dia)


Antífona de entrada

Deus habita em seu templo santo, reúne seus filhos em sua casa; é ele que dá força e poder a seu povo (Sl 67,6s.36)

Oração do Dia

Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


1a Leitura - Jeremias 18,1-6

Leitura da profecia de Jeremias.

18 1 Foi dirigida a Jeremias a palavra do Senhor nestes termos:

2 “Vai e desce à casa do oleiro, e ali te farei ouvir minha palavra”.

3 Desci, então, à casa do oleiro, e o encontrei ocupado a trabalhar no torno.

4 Quando o vaso que estava a modelar não lhe saía bem, como sói acontecer nos trabalhos de cerâmica, punha-se a trabalhar em outro à sua maneira.

5 Foi esta, então, a linguagem do Senhor: “casa de Israel, não poderei fazer de vós o que faz esse oleiro?” - oráculo do Senhor.

6 “O que é a argila em suas mãos, assim sois vós nas minhas, Casa de Israel”.

Palavra do Senhor.


Salmo - 145/146

Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!

Bendize, minha alma, ao Senhor!
Bendize, minha alma, ao Senhor!
Bendirei ao Senhor toda a vida,
Cantarei ao meu Deus sem cessar!

Não ponhais vossa fé nos que mandam,
Não há homem que possa salvar.
Ao faltar-lhe o respiro, ele volta
Para a terra de onde saiu;
Nesses dia seus planos perecem.

É feliz todo homem que busca
Seu auxílio no Deus de Jacó
E que põe no Senhor a esperança.
O Senhor fez o céu e a terra,
fez o mar e o que neles existe.


Evangelho - Mateus 13,47-53

Aleluia, aleluia, aleluia.

Abre-nos, ó Senhor, o coração, para ouvirmos a palavra de Jesus! (At 16,14)


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

13 47 “O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.

48 Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.

49 Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos

50 e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.

51 Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles.

52 Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas”.

53 Após ter exposto as parábolas, Jesus partiu.

Palavra da Salvação.


Oração Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Pai, os dons que recebemos da vossa bondade e trazemos a este altar. Fazei que estes sagrados mistérios, pela força da vossa graça, nos santifiquem na vida presente e nos conduzam à eterna alegria. Por Cristo, nosso Senhor.


Antífona de Comunhão

Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não esqueças nenhum de seus favores! (Sl 102,2)


Depois da Comunhão

Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.


REFLEXÃO


“Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!”

Mt 13, 47-53

Hoje temos mais duas comparações do Reino de Deus: a rede de pesca e um pai de família que tira do tesouro coisas novas e velhas. O Reino é sempre dinâmico e o procuram, mas nem todos preenchem os requisitos necessário e acabam se perdendo no caminho.

O Reino está aberto a todos, mas nem todos se dispõem a viver as suas exigências. Em seus ensinamentos, Jesus deixa claro que a busca do Reino supõe a prática da justiça e do amor. O desapego e o esforço da partilha, o exercício da fraternidade e as relações de perdão e de paz.

Os contravalores envolvem a injustiça e seus derivados: egoísmo, opressão, ambição desmedida e o enriquecimento ilícito, atentado à vida; enfim, tudo o que prejudica o próximo.

Cada pessoa toma consciência do bem e do mal e livremente faz a sua escolha; com isso escolhe também o desfecho de sua vida. O bem será recompensando por Deus, e o mal, condenado.

Aquele que conhece o Reino, Jesus pede, que se torne um discipulo, que aprenda a valorizar a Palavra de Deus e saiba viver este ensinamento novo. Que grite o Evangelho com a vida!

Rezemos: Senhor Jesus, livra-me da tentação de querer ser juiz do meu próximo e faça com que eu aprenda a ajudar as pessoas a descobrirem o caminho do Reino.

Deus abençoe você e sua família.

Pe João Luiz Fávero
Paróquia Nossa Senhora das Dores
Cambuí - Campinas - SP
PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
RSS FEED
Voltar para o conteúdo