15 de setembro de 2018 - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

15 de setembro de 2018

LITURGIA DIÁRIA > 2018 > SETEMBRO

Nossa Senhora das Dores. Memória
15 de Setembro de 2018
Cor: Branco


1ª Leitura - Hb 5,7-9

Aprendeu o que significa a obediência a Deus
e tornou-se causa de salvação eterna.

Leitura da Carta aos Hebreus 5,7-9

7 Cristo, nos dias de sua vida terrestre, dirigiu preces e súplicas, com forte clamor e lágrimas, àquele que era capaz de salvá-lo da morte. E foi atendido, por causa de sua entrega a Deus.
8 Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência a Deus por aquilo que ele sofreu.
9 Mas, na consumação de sua vida, tornou-se causa de salvação eterna para todos os que lhe obedecem.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 30(31),2-3a.3bc-4.5-6.15-16.20 (R. 17b)

R. Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

2Senhor, eu ponho em vós minha esperança;*
que eu não fique envergonhado eternamente!
3aPorque sois justo, defendei-me e libertai-me*
apressai-vos, ó Senhor, em socorrer-me!R.

3bSede uma rocha protetora para mim,*
3cum abrigo bem seguro que me salve!
4Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza;*
por vossa honra orientai-me e conduzi-me!R.

5Retirai-me desta rede traiçoeira, *
porque sois o meu refúgio protetor!
6Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, *
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!R.

15A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, *
e afirmo que só vós sois o meu Deus!
16Eu entrego em vossas mãos o meu destino; *
libertai-me do inimigo e do opressor!R.

20Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, *
que reservastes para aqueles que vos temem!
Para aqueles que em vós se refugiam, *
mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.R.


Evangelho - Jo 19,25-27

Mãe entre todas bendita, do Filho único aflita,
a imensa dor assistia (Stabat Mater).

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 19,25-27

Naquele tempo:
25 Perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena.
26 Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: "Mulher, este é o teu filho".
27 Depois disse ao discípulo: "Esta é a tua mãe". Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.
Palavra da Salvação.



REFLEXÃO - PADRE JOÃO LUÍS FÁVERO


“Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!”

Jo 19, 25-27

FESTA DE NOSSA SENHORA DAS DORES – NOSSA PADROEIRA

Depois de celebrar a Exaltação da Santa Cruz, a Igreja nos convida a olhar para Nossa Senhora aos pés da Cruz.  Prova de fidelidade ao seu Filho. Maria segue Jesus até o seu momento de maior sofrimento, que foi a sua morte na cruz por amor a humanidade.

Na cruz Nossa Senhora das Dores nos toma por filhos, “Eis aí tua Mãe”, e a humanidade a toma por Mãe, “Eis aí teu filho”. Nasce um belo pacto de cuidado: ela cuida de nós e nós a amamos e cuidamos dela.

A celebração de hoje, faz memória das Dores de Maria e quer lembrar que a Mãe de Jesus teve uma participação ativa na entrega, na dor e no sacrifício de Jesus Cristo.

Sabemos que Maria, durante sua vida experimentou o sofrimento ao ver seu Filho ser rejeitado pelos adversários, mas também soube cultivar a alegria que a fé lhe proporcionou desse convívio tão íntimo.

Ela participou tão ativamente na obra da redenção operada por Jesus Cristo que, como Simeão profetizou: “uma espada transpassará a seu coração”, e de pé, junto a cruz viu a lança transpassar o Coração de seu Filho e sentiu em si a mesma dor.

Maria, pela fé fez de si, ali na cruz, uma oblação ao Pai, na oblação de Jesus Cristo. Lembra que todos nós como membros da Igreja devemos também, nos oferecer na oblação de Cristo, como Ela fez. São Paulo vem lembrar: “se sofremos com Cristo, com ele também seremos glorificados, tornando-nos herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo” (Rm 8, 17).

A devoção popular enumerou os principais momentos dolorosos na vida de Nossa Senhora, sua Sete Dores: A profecia de Simeão, a fuga para o Egito, a perda de Jesus, o caminho para o Calvário, a crucificação, a deposição da cruz e o sepultamento de Jesus.

Inspirados por São Paulo e com Maria aprendemos a rezar a Palavra de Deus: “Alegro-me nos sofrimentos que tenho suportado por vocês e completo em minha carne, o que falta às tribulações de Cristo em favor dos eu Corpo que é a Igreja” (Col 1, 24).

Em nossas dores, somos convidados a associar-nos as Dores de Maria. Esta Mãe nos apresenta ao seu Filho, que nos confiou aos seus cuidados, e Ela nos ajuda a suportar e superar as dores da vida.

Rezemos: Mãe de todos os amores, vê teus filhos pecadores, ó Senhora das Dores!

Deus abençoe você e sua família.
Padre João Luiz Fávero
Paróquia Nossa Senhora das Dores
Cambuí - Campinas - SP

REFLEXÃO - FREI RINALDO STECANELLA, OSM


Bom dia. Deus abençoe você nesse novo dia que está começando. Chegamos a mais um final de semana. Hoje é um dia muito especial. Recordamos a festa Mariana de Nossa Senhora das Dores. Um dos títulos Marianos mais antigos que temos por que nos remete ao texto bíblico de Jo 19, 25, Maria aos pés da Cruz. Foi neste dia que Jesus nos deu um dos maiores presentes: sua Mãe! Agora Ela é nossa Mãe, foi o que Jesus nos deu! Que seu dia seja muito especial!

Isaías 41, 8-14
Tu és o meu servo, a ti escolhi e nunca te rejeitei.
Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
Eis que, envergonhados e confundidos serão todos os que se indignaram contra ti; tornar-se-ão em nada, e os que contenderem contigo, perecerão.
Buscá-los-ás, porém não os acharás; os que pelejarem contigo, tornar-se-ão em nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo.
Porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo.
Não temas, tu meu amado filho,  eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém!

Com carinho e bençãos

Frei Rinaldo, osm


SOBRE A DATA COMEMORATIVA





Nossa Senhora das Dores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Disambig grey.svg Nota: Nossa Senhora da Piedade redireciona para este artigo. Para a freguesia portuguesa, veja Nossa Senhora da Piedade (Ourém). Para outros significados, veja Nossa Senhora das Dores (desambiguação).
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Nossa Senhora das Dores, também chamada de Nossa Senhora da Piedade, Nossa Senhora da Soledade, Nossa Senhora das Angústias, Nossa Senhora da Agonia, Nossa Senhora das Lágrimas, Nossa Senhora das Sete Dores, Nossa Senhora do Calvário, Nossa Senhora do Monte Calvário, Mãe Soberana e Nossa Senhora do Pranto, invocada em latim como Beata Maria Virgo Perdolens ou Mater Dolorosa (sendo, sob essa designação, particularmente cultuada em Portugal), é uma forma pela qual é venerada Maria (mãe de Jesus).

Ela é geralmente reconhecida por ter uma ou mais facas ou espadas, geralmente sete, atravessando seu coração.


Sete dores

A devoção à Mater Dolorosa iniciou-se em 1221, no Mosteiro de Schönau, na Germânia. Em 1239, a sua veneração no dia 15 de Setembro teve início em Florença, na Itália, pela Ordem dos Servos de Maria (Ordem dos Servitas). Deve o seu nome às Sete Dores da Virgem Maria:


Veneração

Nossa Senhora das Dores de La Codosera, Espanha.

Em Heliodora/MG e Cristina - MG, é celebrado o Setenário das Dores de Maria, com 07 Santas Missas com a Temática das Sete Dores, começando no Quinto Domingo da Quaresma com a 1ª Dor e terminando no Sábado, véspera do Domingo de Ramos, com a 7ª Dor. No Sábado das Dores, realiza-se a Oração das 1000 Ave-Marias, divididas em 20 Santos Terços (05 Rosários), começando às 07 da manhã e caminhando o dia todo até às 19 horas, complementando a Celebração das 07 Dores de Nossa Senhora com a Santa Missa.

É padroeira do município e da Diocese de Guaxupé, em Minas Gerais. Também é padroeira das cidades de Candiba, no sudoeste da Bahia; Mairi, no centro-norte da Bahia; Assaré e Coreaú (como Nossa Senhora da Piedade), no Estado do Ceará; Areal no Estado do Rio de Janeiro; Avaré e em Araçoiaba da Serra, ambas no interior de São Paulo; e também da capital do Estado do Piauí, Teresina, onde é venerada no dia 15 de setembro, dia esse em que acontece uma celebração final com a procissão que sai da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Amparo acompanhada por uma legião de pessoas que vão se formando à medida que a imagem vai passando pelas ruas do centro da cidade, até a sede da Catedral, onde é recebida por uma multidão de fiéis com chuvas de pétalas de rosas, folguetes e salvas de palmas, que simbolizam a fé e devoção pela Santa Padroeira.

Em Pirenópolis e Magé, é venerada na Semana Santa, com o Setenário, e procissão.

Em Mantenópolis, é venerada no dia 15 de setembro, a festa começa no mês de agosto com a peregrinação com a imagem de Nossa Senhora das Dores pelas comunidades da Paróquia, iniciado pela comunidade São Geraldo e indo até o município de Alto Rio Novo, que também faz parte da paróquia. Cada comunidade leva até a comunidade vizinha até o dia 15 de setembro, quando a imagem desce em Carreata desde o município de Alto Rio Novo até Mantenópolis, onde há uma Missa que é presidida pelo bispo de São Mateus finalizando a novena. Logo após à missa, há uma apresentação artística de cantores contratados pela paróquia.

Em Boa Esperança, em Minas Gerais, é venerada na Semana Santa com o Setenário das Dores, e na semana do dia 15 de Setembro. Celebram-se missas durante sete dias, até o dia de sua festa, quando, além de procissão por toda a cidade, celebram-se duas missas: uma de manhã, antes da procissão, e outra à noite. Ainda em Minas Gerais, Nossa Senhora da Soledade é festejada como a Padroeira da cidade de Itajubá, no sul do Estado, com realização de novena e festa religiosa sempre em torno da data de 15 de setembro. A celebração itajubense acontece principalmente na Paróquia Nossa Senhora da Soledade e é uma festa tradicional realizada em 2016 na sua 184ª edição ininterrupta.

Também é padroeira da cidade de Doresópolis, no Centro-Oeste de Minas Gerais e em Nossa Senhora das Dores, Sergipe.

Também em Marilândia do Sul, cidade do interior do Paraná, se tem, como fé religiosa, a devoção a Nossa Senhora das Dores, que originou o nome do município (Mari=Maria e lândia=terra), ou seja, Terra de Maria, em devoção à Santa. Após a posse do Padre José Natalício, na igreja matriz do município em 2008, é comemorada, no mês de setembro, a festa da paróquia em festejos em homenagem à santa. Como em Boa Esperança, em Minas Gerais, é celebrado um Setenário de missas, em homenagem às sete dores de Maria. Os festejos do mês de setembro da Paróquia Nossa Senhora das Dores de Marilândia do Sul vem conquistando cada vez mais o reconhecimento cultural regional, por sua organização através da fé, com boas festas, e leilões à tarde do domingo em que se comemora os festejos.

É a Santa Padroeira da cidade de Dores de Campos - MG, estando cerca de 220 Km da capital estadual.

É Padroeira de Arthur Nogueira - SP, onde, no mês de setembro, se celebra o Setenário das Dores e, no dia 15 de setembro, a Missa Solene, seguida de Procissão pelas ruas do centro.

É a Santa Padroeira da cidade de Miracatu - SP.

É a Santa Padroeira da cidade de Caldas Novas, em Goiás.

É a Santa Padroeira da cidade de Itobi, em São Paulo.

É a Santa Padroeira da cidade de Casa Branca, em São Paulo.

É a Santa Padroeira da Vila de Placa em Frei Miguelinho Pernambuco.

É a Santa Padroeira da cidade de Campo Largo (Paraná), onde é celebrada em 02 de fevereiro.

É a Santa Padroeira da cidade de Tubarão (Santa Catarina), no sul de Santa Catarina, no Brasil, onde é feriado em 15 de setembro.

É venerada no dia 15 de Setembro, como padroeira da Eslováquia, do estado norte-americano do Mississípi, dos municípios brasileiros de Candiba Bahia, Mairi Bahia, Barbacena,Dores do Turvo, Januária, Lima Duarte e Piedade do Rio Grande em Minas Gerais, estado onde em sua cidade de Itajubá, no sul, é a Padroeira como Nossa Senhora da Soledade; de Areal no Rio de Janeiro, Juazeiro do Norte e Assaré,ambas no Ceará, Avaré, Brotas, Ibiúna, Jambeiro (São Paulo), Serrana e Juquitiba em São Paulo, Monteiro, Mogeiro e Cajazeiras, na Paraíba, Caruaru e Triunfo em Pernambuco, Porto Alegre no Rio Grande do Sul, Patu, Itaú e Espírito Santo no Rio Grande do Norte, Itapecuru-Mirim no Maranhão, Mantenópolis e Limeira e das comunas italianas de Accumoli, Mola di Bari, Paroldo e Villanova Mondovì.

É também alvo de particular culto em Malta e na Espanha (sendo orago dos seguintes municípios: Alanís, Albuñuelas, Alhama de Granada, Arévalo, Ayamonte, Blanca, Cobisa, Cuenca, Granada, Guadix, Güevéjar, Lodosa, Luzaga, Medina del Campo, Uclés, Vera, Villarramiel e Villatuelda).


PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
RSS FEED
Voltar para o conteúdo