19/03/2018 - SÃO JOSÉ – ESPOSO DE MARIA E PADROEIRO DA IGREJA - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

19/03/2018 - SÃO JOSÉ – ESPOSO DE MARIA E PADROEIRO DA IGREJA

LITURGIA DIÁRIA > 2018 > MAR
PUBLICIDADE
19/03/2018 - SÃO JOSÉ – ESPOSO DE MARIA E PADROEIRO DA IGREJA
(branco – ofício da solenidade)


Humilde, justo e trabalhador, José (Palestina, séc. 1º) assumiu na fé a missão de ser o pai adotivo de Jesus. Em comunhão com toda a Igreja, celebremos nosso padroeiro universal e peçamos sua proteção para as famílias do mundo inteiro.


Primeira Leitura: 2 Samuel 7,4-5.12-14.16

Leitura do segundo livro de Samuel – Naqueles dias, 4 a palavra do Senhor foi dirigida a Natã nestes termos: 5 “Vai dizer ao meu servo Davi: ‘Assim fala o Senhor: 12 Quando chegar o fim dos teus dias e repousares com teus pais, então suscitarei, depois de ti, um filho teu e confirmarei a sua realeza. 13 Será ele que construirá uma casa para o meu nome, e eu firmarei para sempre o seu trono real. 14 Eu serei para ele um pai, e ele será para mim um filho. 16 Tua casa e teu reino serão estáveis para sempre diante de mim, e teu trono será firme para sempre’”. – Palavra do Senhor.


Salmo Responsorial: 88(89)

Eis que a sua descendência durará eternamente.
  1. Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, / de geração em geração eu cantarei vossa verdade! / Porque dissestes: “O amor é garantido para sempre!” / E a vossa lealdade é tão firme como os céus. – R.
  2. “Eu firmei uma aliança com meu servo, meu eleito, / e eu fiz um juramento a Davi, meu servidor. / Para sempre, no teu trono, firmarei tua linhagem, / de geração em geração garantirei o teu reinado! – R.
  3. Ele, então, me invocará: ‘Ó Senhor, vós sois meu Pai, / sois meu Deus, sois meu rochedo onde encontro a salvação!’ / Guardarei eternamente para ele a minha graça / e com ele firmarei minha aliança indissolúvel.” – R.

Segunda Leitura: Romanos 4,13.16-18.22

Leitura da carta de são Paulo aos Romanos – Irmãos, 13 não foi por causa da lei, mas por causa da justiça que vem da fé, que Deus prometeu o mundo como herança a Abraão ou à sua descendência. 16 É em virtude da fé que alguém se torna herdeiro. Logo, a condição de herdeiro é uma graça, um dom gratuito, e a promessa de Deus continua valendo para toda a descendência de Abraão, tanto para a descendência que se apega à lei quanto para a que se apoia somente na fé de Abraão, que é o pai de todos nós. 17 Pois está escrito: “Eu fiz de ti pai de muitos povos”. Ele é pai diante de Deus porque creu em Deus, que vivifica os mortos e faz existir o que antes não existia. 18 Contra toda a humana esperança, ele firmou-se na esperança e na fé. Assim, tornou-se pai de muitos povos, conforme lhe fora dito: “Assim será a tua posteridade”. 22 Esta sua atitude de fé lhe foi creditada como justiça. – Palavra do Senhor.


Evangelho: Mateus 1,16.18-21.24

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 16 Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. 18 A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19 José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20 Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe em sonho e lhe disse: “José, filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21 Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. 24 Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado. – Palavra da salvação.



PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
RSS FEED
Voltar para o conteúdo