2019 - JUNHO - 26 - QUARTA-FEIRA - Liturgia Católica Apostólica Romana

- AD MAIOREM DEI GLORIAM -
Ir para o conteúdo
MISSAL > LITURGIA DO DIA
VATICAN NEWS
Pesquisa rápida
Liturgia Diária

Cor: Verde

1ª Leitura - Gn 15,1-12.17-18

Abrão teve fé no Senhor,
que considerou isso como justiça;
e o Senhor fez aliança com Abrão.

Leitura do Livro do Gênesis 15,1-12.17-18
Naqueles dias:
1 O  Senhor falou a Abrão, dizendo: 'Não temas, Abrão! Eu sou o teu protetor e tua recompensa será muito grande'.
2 Abrão respondeu:  'Senhor Deus, que me darás?  Eu me vou desta vida sem filhos  e o herdeiro de minha casa será Eliezer de Damasco'.
3 E acrescentou:  'Como não me deste descendência,  um servo nascido em minha casa será meu herdeiro'.
4 Então o Senhor falou-lhe nestes termos:  'O teu herdeiro não será esse,  mas um dos teus descendentes  é que será o herdeiro'.
5 E, conduzindo-o para fora, disse-lhe:  'Olha para o céu e conta as estrelas,  se fores capaz!'  E acrescentou:  'Assim será a tua descendência'.
6 Abrão teve fé no Senhor,  que considerou isso como justiça.
7 E lhe disse:  'Eu sou o Senhor que te fez sair de Ur dos Caldeus,  para te dar em possessão esta terra'.
8 Abrão lhe perguntou:  'Senhor Deus, como poderei saber  que vou possuí-la?'
9 E o Senhor lhe disse:  'Traze-me uma novilha de três anos,  uma cabra de três anos,  um carneiro de três anos,  além de uma rola e de uma pombinha'.
10 Abrão trouxe tudo  e dividiu os animais pelo meio,  mas não as aves,  colocando as respectivas partes uma frente à outra.
11 Aves de rapina se precipitaram sobre os cadáveres,  mas Abrão as enxotou.  
12 Quando o sol já se ia pondo,  caiu um sono profundo sobre Abrão  e ele foi tomado de grande e misterioso terror.
17 Quando o sol se pôs e escureceu,  apareceu um braseiro fumegante e uma tocha de fogo,  que passaram por entre os animais divididos.
18 Naquele dia o Senhor fez aliança com Abrão, dizendo:  'Aos teus descendentes darei esta terra,  desde o rio do Egito  até o grande rio, o Eufrates'.
Palavra do Senhor.


Salmo - Sl 104,1-2. 3-4. 6-7. 8-9 (R. 8a)

R. O Senhor se lembra sempre da Aliança.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.



1 Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, *
anunciai entre as nações seus grandes feitos!
2 Cantai, entoai salmos para ele, *
publicai todas as suas maravilhas!
R.

3 Gloriai-vos em seu nome que é santo, *
exulte o coração que busca a Deus!
4 Procurai o Senhor Deus e seu poder, *
buscai constantemente a sua face!
R.

6 Descendentes de Abraão, seu servidor, *
e filhos de Jacó, seu escolhido,
7 ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, *
vigoram suas leis em toda a terra.
R.

8 Ele sempre se recorda da Aliança, *
promulgada a incontáveis gerações;
9 da Aliança que ele fez com Abraão, *
e do seu santo juramento a Isaac.
R.


Evangelho - Mt 7,15-20

Pelos seus frutos vós os conhecereis.


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 7,15-20
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
15 Cuidado com os falsos profetas:  Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha,  mas por dentro são lobos ferozes.
16 Vós os conhecereis pelos seus frutos.  Por acaso se colhem uvas de espinheiros  ou figos de urtigas?
17 Assim, toda árvore boa produz frutos bons,  e toda árvore má, produz frutos maus.
18 Uma árvore boa não pode dar frutos maus,  nem uma árvore má pode produzir frutos bons.
19 Toda árvore que não dá bons frutos  é cortada e jogada no fogo.
20 Portanto, pelos seus frutos vós os conhecereis.
Palavra da Salvação.





Reflexão - Padre João Luís Fávero - Campinas (SP)

“O Senhor se lembra sempre da aliança.”
Mt 7, 15-20

Os falsos profetas seduzem os irmãos descuidados, ingênuos, com palavras sedutoras, escondendo erros grosseiros, cuja falsidade só é descoberta com um discernimento de quem está em comunhão com o projeto do Pai.

Jesus ofereceu um critério segura para desmascarar essa sedução: os frutos. A árvore boa dá bons frutos. Dos espinheiros não se colhem uvas. Trata-se do modo de proceder, decorrente do que foi ensinado. O verdadeiro profeta incentiva à prática do amor, do perdão, da solidariedade e da fidelidade a Deus.

Já os falsos profetas reforçam as tendências egoístas; confirmam os ouvintes em suas posturas equivocadas; provocam divisão na comunidade e impedem-na de seguir adiante.

Cabe aos discípulos sensatos ajudar a reconhecer os lobos revestidos de ovelhas que atuam na comunidade. As aparências podem ser enganosas. A fachada respeitável pode camuflar personalidades perigosas, cujas ações são prejudiciais para quem deseja ser fiel ao projeto de Deus.

A maldade da atuação dos falsos profetas é normalmente de caráter prático e não de caráter doutrinal. Seguem a própria cabeça, ensinando o que lhe convém. E quem se deixa guiar por eles afastam-se sempre mais do caminho de Deus, enveredando-se por atalhos perigosos.

A advertência de Jesus é um apelo a todos os cristãos para harmonizar nosso discurso com nossa prática, mostrar com a vida aquilo que cremos. Unir nossa oração de domingo com a prática da semanal. Jesus aceita e perdoa o pecado, mas rejeita a incoerência e a hipocrisia.

Rezemos: Senhor, quero ser capaz de examinar as aparências e os frutos. Descobrir o que eu estou produzindo e ser capaz de corrigir. Quero mostrar com a minha vida aquilo que creio.

Deus abençoe você e sua família.
Reflexão - Frei Rinaldo Stecanella, osm
Bom dia. Deus abençoe seu novo dia. Uma quarta-feira feliz e abençoada com toda sorte de bençãos físicas e espirituais. Desejo que seus primeiros movimentos sejam de gratidão a Deus pelo dom da vida, de ter mais um dia para fazer o bem, ser melhor, superar-se, ajudar, apoiar, ser solidário, caridoso, prestativo, bondoso, misericordioso...peça isso, respire fundo e deixe o ar do amor, da paz, da alegria, do otimismo...entrar em cada célula do seu corpo...Isso é vida, isso é energia, isso é Espírito Santo que ilumina todo o seu ser.

Mt 6, 22
O olho é a luz do corpo. Se teu olho é são, todo o teu corpo será iluminado.

Com carinho e bençãos
Frei Rinaldo, osm
ORAÇÃO
S. JOSEMARIA ESCRIVÁ Y BALAGUER, PRESBÍTERO, FUNDADOR DO OPUS DEI

“Pegadas de pés descalços sobre a neve”. O gérmen da santidade pode desabrochar também em acontecimentos aparentemente banais. Josemaría tinha 16 anos quando observou aquelas pegadas deixadas por alguns Carmelitas ao chegarem à cidade e se perguntou: “O que seria capaz de oferecer a Jesus diante da total generosidade, que testemunham aqueles rastos de pés nus na neve”?

Era o ano de 1918. Aquele rapaz espanhol, natural de Barbastro, em Aragão, depois transferido com a família para Logroño, intuiu que Deus estava à sua procura para realizar alguma coisa que ainda não tinha forma.


Pegadas da vocação

Aquelas pegadas na neve prosseguem, de qualquer modo, no seu interior. Josemaría interroga-se, continuamente, para saber, com clareza, qual o projeto, que Deus não lhe havia revelado totalmente, para tomar uma decisão. Qual a escolha melhor, para encontrá-lo preparado, senão a de ser sacerdote?

O jovem estudou, antes em Logroño e depois em Zaragoza, e formou-se, não só em vista do seu futuro ministério, mas também em Direito, seguindo o conselho do seu pai, que veio a falecer em 1926.
No dia 28 de março do ano seguinte, Josemaría tornou-se sacerdote. A sua primeira experiência foi em uma periferia de Zaragoza, entre os pobres e analfabetos. No entanto, aquelas pegadas continuam em seu coração.


Visão de uma Obra

Quarta-feira, 2 de outubro de 1928. Após a Missa, Padre Escrivá subiu para seu quarto. Morava com a sua família, há quase um ano, em um pequeno apartamento de Madri: pouco dinheiro e muito trabalho, entre compromissos sacerdotais, estudo e aulas particulares.

Ao organizar suas anotações, - propósitos, inspirações, ideias – como por uma fulguração, Josemaría “viu” a Obra que Deus lhe pedia: “Pessoas de todas as nações e raças, de todas as idades e culturas buscavam a Deus e o encontravam na vida de cada dia; santificavam seu trabalho, humilde ou prestigioso que fosse; cristianizavam seus ambientes, como por contágio”.

Então, Josemaría ajoelhou-se e, com o tempo, escreveu: “Tinha 26 anos, contava com a graça de Deus e bom humor. Nada mais. Mas tinha que construir a Opus Dei”. Aquelas pegadas tinham chegado ao seu destino!


“Cem anos antes”

A guerra civil estoura, sobretudo e de modo feroz, contra a Igreja, obrigando Josemaría à clandestinidade, refugiando-se, para além dos Pirineus, em Burgos, na França. Regressou para Madri, em 1839, e, depois, em 1946, partiu para Roma, onde foi recebido pelo Papa Pio XII.

O Papa Pacelli estimava muito ao Padre Escrivá, mas o problema era que, para aprovar canonicamente uma Obra daquele tipo, - simples cristãos que queriam se santificar na vida de cada dia - faltavam os princípios jurídicos.
A Opus Dei, - disse alguém – “teria chegado cem anos antes”. Mas, finalmente, entre 1947 e 1950, foi-lhe concedido o máximo sigilo eclesial. A Opus Dei contou, nos decênios sucessivos, com uma grande expansão. Seu fundador fez numerosas viagens pelo mundo.

Josemaría Escrivá de Balaguer faleceu em 26 de junho de 1975, Em 6 de outubro de 2002, João Paulo II o proclamou Santo.

Fonte: Vatican News









Novena ao Sagrado Coração de Jesus - Dia 8

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Entrego e consagro ao Sagrado Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo minha vida, minhas ações, dores e sofrimentos, para que eu utilize meu corpo e alma somente para honrar, amar e glorificar o Sagrado Coração.

Retire de mim tudo o que está mal e tudo o que não faça Tua santa vontade. Que Teu amor puro a que se imprima no mais profundo de meu coração, para que eu não me esqueça nem me separe de ti.


Oitavo dia

Pai, nós vos damos graças porque em Cristo, revelastes o mistério do vosso infinito amor e nos chamastes a produzir frutos na caridade.

Em união com Jesus, oferecemos toda a nossa vida pelo advento de vosso reino e a salvação de todos os homens. Apresentamo-vos nossa pobreza para que, unida à de nossos irmãos, obtenha a abundância de vossa misericórdia. Pai santo, aperfeiçoai-nos na unidade; ajudai-nos a cumprir a vossa vontade e fazei de nós um sacrifício perene para o louvor da vossa glória em reparação ao seu Sagrado Coração.

Amém.


Oração final:

Ó coração de Jesus, fonte ardente de amor, cremos em Vós e no Vosso imenso amor. Nós Vos louvamos hoje pela vocação que recebemos, pela graça de sermos associados à Vossa Obra Redentora mediante a prática do amor e o ministério da reconciliação. Dai-nos ser fiéis ao Vosso chamado. Que o Espírito da Vida nos ilumine e fortaleça, abri nossos corações para a ação da Graça Divina, e confirmai-nos na fé que recebemos. Consagramo-nos a Vós, ó Coração Divino, certo de que Vossa caridade tudo pode, tudo consegue e tudo santifica. Acima de tudo, Senhor, Vos pedimos: fazei o nosso coração semelhante ao Vosso. Amém.

✝ Pai Nosso...
✝ Ave Maria...
✝ Glória ao Pai...

Sagrado Coração de Jesus, eu espero e confio em Vós!


FEVEREIRO
DOM
SEG
TER
QUA
QUI
SEX
SÁB





1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
181920212223
2425262728

- Totus Tuus -
Voltar para o conteúdo