23 de setembro de 2018 - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

23 de setembro de 2018

LITURGIA DIÁRIA > 2018 > SETEMBRO

25º Domingo do Tempo Comum
23 de Setembro de 2018
Cor: Verde



1ª Leitura - Sb 2,12.17-20

Vamos condená-lo à morte vergonhosa.

Leitura do Livro da Sabedoria 2,12.17-20

Os ímpios dizem:
12 Armemos ciladas ao justo, porque sua presença nos incomoda: ele se opõe ao nosso modo de agir, repreende em nós as transgressões da lei e nos reprova as faltas contra a nossa disciplina.
17 Vejamos, pois, se é verdade o que ele diz, e comprovemos o que vai acontecer com ele.
18 Se, de fato, o justo é 'filho de Deus', Deus o defenderá e o livrará das mãos dos seus inimigos.
19 Vamos pô-lo à prova com ofensas e torturas, para ver a sua serenidade e provar a sua paciência;
20 vamos condená-lo à morte vergonhosa, porque, de acordo com suas palavras, virá alguém em seu socorro'.
Palavra do Senhor.



R.É o Senhor quem sustenta minha vida!

3Por vosso nome, salvai-me, Senhor;*
e dai-me a vossa justiça!
4Ó meu Deus, atendei minha prece*
e escutai as palavras que eu digo!R.

5Pois contra mim orgulhosos se insurgem,
e violentos perseguem-me a vida:*
não há lugar para Deus aos seus olhos.
6Quem me protege e me ampara é meu Deus;*
é o Senhor quem sustenta minha vida!R.

8Quero ofertar-vos o meu sacrifício*
de coração e com muita alegria;
quero louvar, ó Senhor, vosso nome,*
quero cantar vosso nome que é bom!R.



2ª Leitura - São Tiago 3,16-4,3

O fruto da justiça é semeado na paz,
para aqueles que promovem a paz.

Leitura da Carta de São Tiago 3,16-4,3

Caríssimos:
3,16 Onde há inveja e rivalidade, aí estão as desordens e toda espécie de obras más.
17 Por outra parte, a sabedoria que vem do alto é, antes de tudo, pura, depois pacífica, modesta, conciliadora, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem fingimento.
18 O fruto da justiça é semeado na paz, para aqueles que promovem a paz.
4,1 De onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós?
2 Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis.
3 Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres.
Palavra do Senhor.


Evangelho - Mc 9,30-37

O Filho do Homem vai ser entregue...
Se alguém quiser ser o primeiro, que
seja aquele que serve a todos!

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 9,30-37

Naquele tempo:
30 Jesus e seus discípulos atravessavam a Galiléia. Ele não queria que ninguém soubesse disso,
31 pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: 'O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. Mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará'.
32 Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar.
33 Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: 'O que discutíeis pelo caminho?'
34 Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior.
35 Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: 'Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!'
36 Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse:
37 'Quem acolher em meu nome uma destas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou'.
Palavra da Salvação.



REFLEXÃO - PADRE JOÃO LUÍS FÁVERO


“É o Senhor quem sustenta a minha vida!”

Mc 9, 30-37

Depois de Jesus anunciar pela segunda vez sua paixão e morte, os discípulos se preocupam com a questão do poder: quem seria o maior, o mais importante.

Diante disso Jesus sentiu necessidade de sentar e estar a sós com os seus discípulos. Era um momento privilegiado de apresentar os ensinamentos, as coisas de Deus e os desafios da missão. Era um momento de intimidade, de oração onde os corações se alinham.

Ele fala de sua Paixão e morte, o que deixa os discípulos chocados e emudecidos. Entristece, porém, o coração de Jesus o fato de ver os discípulos disputarem o poder dentro do grupo, quase num gesto de insensibilidade com a angustia que Jesus acabara de partilhar.  

Jesus ensina que o mais importante é ser o servidor de todos. Coloca uma criança como modelo a ser acolhido: a criança é apresentada como desprovida de ambição e de poder.

No projeto de Jesus a vaidade desvia o coração das pessoas daquilo que é mais importante: o amor e a doação. Jesus abraça os “pequeninos” e não os “poderosos”. A preocupação de Jesus não está voltada para os primeiros lugares, mas para o serviço.

O verdadeiro discipulo vive a pequenez, a insignificância, a simplicidade. Sem esses valores, o grupo não teria nada de diferente dos grupos políticos daquele tempo e de todos os outros.

Diante de uma sociedade que busca carreirismo e fama, somos convidados a trabalhar pelo Reino sem ambicionar os primeiros lugares aprendendo a servir e amar. Não é fácil abraçar o projeto de Jesus; é mais fácil abraçar a autopromoção e o desejo de ser o primeiro. Quem tem mania de grandeza, não consegue assumir esta postura servidora.  

Rezemos: Que eu aprenda com Jesus. Quero ser o primeiro a servir. Quero ser solidário! Quero amar! Quero ajudar a construir um mundo mais justo, humano e fraterno.

Deus abençoe você e sua família.

Padre João Luiz Fávero
Paróquia Nossa Senhora das Dores
Cambuí - Campinas - SP

REFLEXÃO - FREI RINALDO STECANELLA, OSM


Bom dia. Deus abençoe você com toda sorte de bençãos físicas e espirituais. Chegamos a mais um domingo, dia do Senhor por excelência. No Evangelho de hoje, Jesus deseja muito visitar e abraçar você. Para isso ele só pede uma coisa: humildade! Só os humildes recebem a visita de Jesus e são abraçados por ele. Que no seu domingo, você possa receber muitos abraços e visitas de Jesus na sua vida.
Vamos louvar o Senhor?
Vamos louvar a Vida?

Salmo 62 (63), 2-9. Sede de Deus

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!*
Desde a aurora ansioso vos busco!
A minh'alma tem sede de vós,+
minha carne também vos deseja,*
como terra sedenta e sem água!

Venho, assim, contemplar-vos no templo,*
para ver vossa glória e poder.
Vosso amor vale mais do que a vida:*
e por isso meus lábios vos louvam.

Quero, pois, vos louvar pela vida,*
e elevar para vós minhas mãos!
minh'alma será saciada,*
como em grande banquete de festa;
cantará a alegria em meus lábios,*
ao cantar para vós meu louvor!

Penso em vós no meu leito, de noite,*
nas vigílias suspiro por vós!
Para mim fostes sempre um socorro;*
de vossas asas à sombra eu exulto!
Minha alma se agarra em vós;*
com poder vossa mão me sustenta.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Com carinho e bençãos

Frei Rinaldo, osm


PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
RSS FEED
Voltar para o conteúdo