ENFERMOS - RITUAL ROMANO - APÊNDICE - Liturgia Católica Apostólica Romana

Ir para o conteúdo

ENFERMOS - RITUAL ROMANO - APÊNDICE

RITUAIS > ENFERMOS
 

APÊNDICE

 

MISSA 

PARA A UNÇÃO DOS ENFERMOS 

 

Quando o estado de saúde do enfermo o permite, especialmente quando o enfermo deseja receber a Comunhão, pode dar-se a Santa Unção durante a Missa. A celebração faz-se na igreja ou, com o consentimento do Bispo diocesano, na casa do enfermo ou no hospital, em lugar idóneo. 


Esta Missa pode dizer-se todos os dias, excepto nos domingos do Advento, da Quaresma e da Páscoa, na Semana Santa, nas solenidades, na Oitava da Páscoa, na Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos e na Quarta-Feira de Cinzas.

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 6, 3.5

Tende compaixão de mim, Senhor, porque estou doente;

salvai-me pela vossa bondade.


Ou cf Is 53, 4

O Senhor suportou as nossas enfermidades,

tomou sobre Si as nossas dores.

 

ORAÇÃO COLETA 

Deus de misericórdia, 

cujo Filho Unigénito tomou sobre Si as nossas enfermidades 

para revelar o valor da doença e do sofrimento, 

ouvi benignamente as súplicas que Vos dirigimos 

pelos nossos irmãos enfermos 

e fazei que, no meio das suas dores, aflições e fraquezas, 

sintam a consolação prometida aos que sofrem 

unidos à paixão de Cristo pela salvação do mundo. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 


Ou: 

Deus eterno e omnipotente, 

salvação eterna dos vossos fiéis, 

ouvi as súplicas que Vos dirigimos 

pelos nossos irmãos enfermos 

e aliviai-os com o auxílio da vossa misericórdia, 

de modo que, recuperando a saúde, 

possam conosco dar-Vos graças na vossa Igreja. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 

  

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS 

Senhor, que velais com admirável providência 

sobre todos os acontecimentos da nossa vida, 

atendei às súplicas e oblações que Vos apresentamos 

pelos nossos irmãos enfermos, 

para que, vencido todo o perigo, 

nos alegremos de os ver sãos e salvos. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

  

PREFÁCIO O sofrimento, participação na Páscoa de Cristo 

V. O Senhor esteja convosco. 

R. Ele está no meio de nós. 


V. 
Corações ao alto. 

R. O nosso coração está em Deus. 


V. 
Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. 

R. É nosso dever, é nossa salvação. 


Senhor, Pai santo, Deus omnipotente e misericordioso, 

é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação 

dar-Vos graças por Cristo, nosso Senhor e Redentor. 

Vós quisestes que o vosso Filho, 

autor da vida, médico dos corpos e das almas, 

tomasse sobre Si as nossas enfermidades, 

para nos socorrer na hora da tribulação 

e santificar-nos na adversidade e na dor. 

No sinal sacramental da Unção, 

mediante a oração da Igreja, 

Vós nos purificais e fortaleceis com a graça do Espírito 

e nos tornais participantes do triunfo pascal. 

Por isso, com os Anjos e os Santos, 

proclamamos a vossa glória, 

cantando numa só voz: 

Santo, Santo, Santo. 

  

Na Oração Eucarística faz-se menção dos enfermos.


No Cânone Romano diz-se o 
Hanc igitur (Aceitai benignamente) próprio: 

Aceitai benignamente, Senhor, 

a oblação que nós, vossos servos, com toda a vossa família 

Vos apresentamos. 

Nós Vo-la oferecemos também pelos nossos irmãos N. N., 

que mediante a Santa Unção 

unem os seus sofrimentos à paixão e ressurreição de Cristo; 

dai saúde ao seu corpo e consolação ao seu espírito. 

 

Na Oração Eucarística II, depois das palavras e todos os que estão ao serviço do vosso povo, diz-se: 

Lembrai-Vos dos nossos irmãos N. N., 

que receberam a Santa Unção; 

uni os seus sofrimentos 

à paixão e ressurreição do vosso Filho, 

para que sintam alívio no corpo e consolação no espírito. 

 

Na Oração Eucarística III, depois das palavras e todo o povo por Vós redimido, diz-se: 

Assisti os nossos irmãos N. N., 

que receberam a Santa Unção; 

uni os seus sofrimentos 

à paixão e ressurreição de vosso Filho, 

para que sintam alívio no corpo e consolação no espírito. 

 

Na Oração Eucarística IV, depois das palavras os membros desta assembleia, diz-se: 

Os nossos irmãos N. N., 

que receberam a Santa Unção, 

todo o vosso povo santo 

e todos aqueles que Vos procuram de coração sincero.

 

ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Col 1, 24 

Completo na minha carne o que falta à paixão de Cristo, 

sofrendo pelo seu Corpo, que é a Igreja. 

 

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO 

Deus de bondade, seguro refúgio dos que sofrem, 

mostrai o poder da vossa misericórdia 

sobre estes nossos irmãos doentes 

e fazei que possam apresentar-se sãos e salvos 

na vossa Santa Igreja. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 

  

BÊNÇÃO SOLENE 

 

 

Primeira fórmula 

 

Deus Pai vos conceda a sua bênção. 

R. Amen. 


Jesus Cristo, Filho de Deus, 

vos dê a saúde do corpo e da alma. 

R. Amen. 


O Espírito Santo vos ilumine hoje e sempre com a sua luz. 

R. Amen. 


Abençoe-vos Deus todo-poderoso, 

Pai, Filho e Espírito Santo. 

R. Amen.

 

 

Segunda fórmula 

 

Nosso Senhor Jesus Cristo 

esteja a vosso lado para vos proteger. 

R. Amen. 


Ele esteja sempre convosco para vos guiar e defender. 

R. Amen. 


Ele vele sobre vós e vos conforte com as suas bênçãos. 

R. Amen. 


Abençoe-vos Deus todo-poderoso, 

Pai, Filho e Espírito Santo. 

R. Amen.

 

 

MISSA PARA O VIÁTICO 

 

Pode dizer-se esta Missa todos os dias, exceto nos domingos do Advento, da Quaresma e da Páscoa, nas solenidades, na Semana Santa, na Oitava da Páscoa, na Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos e na Quarta-Feira de Cinzas. 

 

ANTÍFONA DE ENTRADA Salmo 77, 23-25 

O Senhor abriu as portas do Céu 

e fez chover o maná como alimento. 

O Senhor deu-lhes o pão do Céu 

e o homem comeu o pão dos Anjos. 


Ou: Salmo 6, 3 

Tende compaixão de mim, Senhor, porque estou doente, 

salvai-me pela vossa bondade. 


Ou: cf. Is 53,4 

O Senhor suportou as nossas enfermidades, 

tomou sobre Si as nossas dores. 

  

ORAÇÃO COLETA 

Deus de infinita misericórdia, 

que em Jesus Cristo, vosso Filho, 

nos destes o caminho, a verdade e a vida, 

olhai benignamente para o vosso servo N. 

e concedei que, cheio de confiança nas vossas promessas 

e fortalecido com o Corpo e Sangue do vosso Filho, 

caminhe em paz para o vosso reino. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS 

Aceitai benignamente, Pai santo, 

o sacrifício em que Vos oferecemos o Cordeiro pascal 

que pela sua paixão abriu as portas do Céu, 

e, por vossa graça, admiti o nosso irmão N. 

nas alegrias da Páscoa eterna. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 

 

PREFÁCIO A Eucaristia, viático para a Páscoa eterna 

V. O Senhor esteja convosco. 

R. Ele está no meio de nós. 


V. 
Corações ao alto. 

R. O nosso coração está em Deus. 


V. 
Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. 

R. É nosso dever, é nossa salvação. 


Senhor, Pai santo, Deus de misericórdia e de paz, 

é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação 

dar-Vos graças e bendizer o vosso nome. 

Vós quisestes que o vosso Filho, Jesus Cristo, 

obediente até à morte na cruz, 

nos abrisse o caminho para Vós, 

plenitude de toda a esperança humana. 

Na Eucaristia, testamento do seu amor, 

Ele faz-Se comida e bebida espiritual 

para a nossa viagem ao encontro da Páscoa eterna.

Com este penhor da ressurreição final, 

esperamos participar na mesa gloriosa do vosso reino 

e, com os Anjos e os Santos, 

proclamamos a vossa glória, 

cantando numa só voz: 

Santo, Santo, Santo. 

  

Na Oração Eucarística faz-se menção do enfermo. 


No Cânone Romano diz-se o 
Hanc igitur (Aceitai benignamente) próprio: 

Aceitai benignamente, Senhor, 

a oblação que nós, vossos servos, com toda a vossa família 

Vos apresentamos. 

Nós Vo-la oferecemos também pelo nosso irmão N., 

que, no santo Viático, recebe o penhor da ressurreição; 

fortalecei-o com o pão descido do Céu, 

para que alcance a alegria do vosso reino. 

 

Na Oração Eucarística II, depois das palavras E todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo, diz-se: 

Lembrai-Vos do nosso irmão N., 

que no santo Viático recebe o penhor da ressurreição; 

fortalecei-o com o pão descido do Céu 

para que alcance a alegria do vosso reino. 

 

Na Oração Eucarística III, depois das palavras e todo o povo por Vós redimido, diz-se: 

Assisti o nosso irmão N., 

que no santo Viático recebe o penhor da ressurreição; 

fortalecei-o com o pão descido do Céu, 

para que alcance a alegria do vosso reino.164 UNÇÃO E PASTORAL DOS DOENTES 

 

Na Oração Eucarística IV, depois das palavras os membros desta assembleia, diz-se: 

O nosso irmão N., 

que no santo Viático recebe o penhor da ressurreição, 

todo o vosso povo santo 

e todos aqueles que Vos procuram de coração sincero. 

  

COMUNHÃO DO ENFERMO 


Quando o sacerdote se aproxima do enfermo e lhe apresenta o Sacramento, diz: 

O Corpo de Cristo. 


O enfermo responde: 

Amen. 


Ou (e) 

O Sangue de Cristo. 


O enfermo responde: 

Amen. 


Em seguida o sacerdote acrescenta: 

Ele te guarde e te conduza à vida eterna. 

 

O enfermo responde: 

Amen. 

  

ANTÍFONA DA COMUNHÃO Jo 6, 51-52 

Eu sou o pão vivo descido do Céu. 

Quem dele comer viverá eternamente. 

O pão que Eu darei é a minha carne pela vida do mundo.


Ou cf. Col 1, 24 

Completo na minha carne o que falta à paixão de Cristo, 

sofrendo pelo seu Corpo, que é a Igreja. 

  

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO 

Senhor nosso Deus, 

salvação dos que acreditam em Vós, 

humildemente Vos pedimos que o nosso irmão N., 

fortalecido com o Corpo e Sangue de Cristo, 

chegue sem temor ao reino da luz e da vida. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 

  

BÊNÇÃO SOLENE 

No fim da Missa, o sacerdote pode usar esta fórmula especial de bênção e acrescentar a fórmula da indulgência plenária “in articulo mortis”. 

Nosso Senhor Jesus Cristo 

esteja a teu lado para te proteger. 

R. Amen. 


Ele esteja sempre contigo para te guiar e defender. 

R. Amen. 


Ele vele sobre ti e te conforte com as suas bênçãos. 

R. Amen.

 

 

Indulgência plenária “in articulo mortis 

 

Pelos santos mistérios da redenção humana, 

Deus omnipotente te perdoe toda a pena 

da vida presente e da vida futura, 

te abra as portas do paraíso 

e te conduza às alegrias eternas. 

R. Amen. 


O sacerdote conclui, dizendo: 

Abençoe-vos Deus todo-poderoso, 

Pai, Filho e Espírito Santo. 

R. Amen.

   

 

MISSA PELOS ENFERMOS 

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Salmo 6, 3 

Tende compaixão de mim, porque estou doente, 

salvai-me pela vossa bondade. 


Ou: cf. Is 53, 4 

O Senhor suportou as nossas enfermidades, 

tomou sobre Si as nossas dores. 

  

ORAÇÃO COLECTA 

Deus de misericórdia, 

cujo Filho tomou sobre Si as nossas enfermidades 

para revelar o valor da doença e do sofrimento, 

ouvi benignamente as súplicas que Vos dirigimos 

pelos nossos irmãos enfermos 

e fazei que, no meio das suas dores, aflições e fraquezas, 

acreditem que pertencem ao número daqueles 

que o vosso Filho proclamou felizes 

e sintam que estão unidos a Cristo 

que sofreu pela salvação do mundo. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Ou: 

Deus eterno e omnipotente, 

salvação eterna dos vossos fiéis, 

ouvi as súplicas que Vos dirigimos 

pelos vossos servos que estão doentes 

e aliviai-os com o auxílio da vossa misericórdia, 

de modo que, recuperando a saúde, 

possam dar-Vos graças na vossa santa Igreja. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 

  

ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS 

Deus eterno e omnipotente, 

que tendes em vossas mãos 

todos os momentos da nossa vida, 

recebei as súplicas e oblações que Vos apresentamos 

pelos nossos irmãos doentes, 

para que, superado todo o perigo, 

nos alegremos de os ver sãos e salvos. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. 

  

PREFÁCIO COMUM VIII Cristo, o bom samaritano 


V. 
O Senhor esteja convosco. 

R. Ele está no meio de nós. 


V. 
Corações ao alto. 

R. O nosso coração está em Deus. 


V. 
Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. 

R. É nosso dever, é nossa salvação.


Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, 

é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação 

louvar-Vos e e dar-Vos graças, 

em todos os momentos da nossa vida, 

na saúde e na doença, no sofrimento e na alegria, 

por Cristo, vosso servo e nosso Redentor. 


Na sua vida mortal, 

Ele passou fazendo o bem 

e socorrendo todos os que eram prisioneiros do mal. 

Ainda hoje, como bom samaritano, 

vem ao encontro de todos os homens 

atribulados no corpo ou no espírito 

e derrama sobre as suas feridas 

o óleo da consolação e o vinho da esperança. 

Por este dom da vossa graça, 

também a noite da dor se abre à luz pascal 

do vosso Filho crucificado e ressuscitado. 


Por isso, com os Anjos e os Santos, 

proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz: 

Santo, Santo, Santo. 

  

ANTÍFONA DA COMUNHÃO cf. Col 1, 24 

Completo na minha carne o que falta à paixão de Cristo, 

sofrendo pelo seu Corpo, que é a Igreja.

  

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO 

Senhor nosso Deus, único refúgio da fraqueza humana, 

vinde em auxílio dos vossos servos doentes, 

para que, ajudados pela vossa misericórdia, 

possam apresentar-se sãos e salvos na santa Igreja. 

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, 

que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

   
PUBLICIDADE
Voltar para o conteúdo