Evangelho segundo São Lucas - Capítulo 18 - Liturgia Católica Apostólica Romana

www.liturgiacatolica.com
www.liturgiacatolica.com
Ir para o conteúdo

Evangelho segundo São Lucas - Capítulo 18

BÍBLIA > NOVO TESTAMENTO > São Lucas
PUBLICIDADE

CAPÍTULO 18


1. Propôs-lhes Jesus uma parábola para mostrar que é necessário orar sempre sem jamais deixar de fazê-lo.
2. Havia em certa cidade um juiz que não temia a Deus, nem respeitava pessoa alguma.
3. Na  mesma cidade vivia também uma viúva que vinha com freqüência à sua  presença para dizer-lhe: Faze-me justiça contra o meu adversário.
4. Ele, porém, por muito tempo não o quis. Por fim, refletiu consigo: Eu não temo a Deus nem respeito os homens;
5. todavia, porque esta viúva me importuna, far-lhe-ei justiça, senão ela não cessará de me molestar.
6. Prosseguiu o Senhor: Ouvis o que diz este juiz injusto?
7. Por acaso não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que estão clamando por ele dia e noite? Porventura tardará em socorrê-los?
8. Digo-vos que em breve lhes fará justiça. Mas, quando vier o Filho do Homem, acaso achará fé sobre a terra?
9. Jesus lhes disse ainda esta parábola a respeito de alguns que se vangloriavam como se fossem justos, e desprezavam os outros:
10. Subiram dois homens ao templo para orar. Um era fariseu; o outro, publicano.
11. O  fariseu, em pé, orava no seu interior desta forma: Graças te dou, ó  Deus, que não sou como os demais homens: ladrões, injustos e adúlteros;  nem como o publicano que está ali.
12. Jejuo duas vezes na semana e pago o dízimo de todos os meus lucros.
13. O  publicano, porém, mantendo-se à distância, não ousava sequer levantar  os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem piedade de  mim, que sou pecador!
14. Digo-vos:  este voltou para casa justificado, e não o outro. Pois todo o que se  exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado.
15. Trouxeram-lhe também criancinhas, para que ele as tocasse. Vendo isto, os discípulos as repreendiam.
16. Jesus,  porém, chamou-as e disse: Deixai vir a mim as criancinhas e não as  impeçais, porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas.
17. Em verdade vos declaro: quem não receber o Reino de Deus como uma criancinha, nele não entrará.
18. Um homem de posição perguntou então a Jesus: Bom Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna?
19. Jesus respondeu-lhe: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão só Deus.
20. Conheces os mandamentos: não cometerás adultério; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; honrarás pai e mãe.
21. Disse ele: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade.
22. A  estas palavras, Jesus lhe falou: Ainda te falta uma coisa: vende tudo o  que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e  segue-me.
23. Ouvindo isto, ele se entristeceu, pois era muito rico.
24. Vendo-o entristecer-se, disse Jesus: Como é difícil aos ricos entrar no Reino de Deus!
25. É mais fácil passar o camelo pelo fundo duma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus.
26. Perguntaram os ouvintes: Quem então poderá salvar-se?
27. Respondeu Jesus: O que é impossível aos homens é possível a Deus.
28. Pedro então disse: Vê, nós abandonamos tudo e te seguimos.
29. Jesus  respondeu: Em verdade vos declaro: ninguém há que tenha abandonado, por  amor do Reino de Deus, sua casa, sua mulher, seus irmãos, seus pais ou  seus filhos,
30. que não receba muito mais neste mundo e no mundo vindouro a vida eterna.
31. Em  seguida, Jesus tomou à parte os Doze e disse-lhes: Eis que subimos a  Jerusalém. Tudo o que foi escrito pelos profetas a respeito do Filho do  Homem será cumprido.
32. Ele será entregue aos pagãos. Hão de escarnecer dele, ultrajá-lo, desprezá-lo;
33. bater-lhe-ão com varas e o farão morrer; e ao terceiro dia ressurgirá.
34. Mas eles nada disto compreendiam, e estas palavras eram-lhes um enigma cujo sentido não podiam entender.
35. Ao aproximar-se Jesus de Jericó, estava um cego sentado à beira do caminho, pedindo esmolas.
36. Ouvindo o ruído da multidão que passava, perguntou o que havia.
37. Responderam-lhe: É Jesus de Nazaré, que passa.
38. Ele então exclamou: Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!
39. Os  que vinham na frente repreendiam-no rudemente para que se calasse. Mas  ele gritava ainda mais forte: Filho de Davi, tem piedade de mim!
40. Jesus parou e mandou que lho trouxessem. Chegando ele perto, perguntou-lhe:
41. Que queres que te faça? Respondeu ele: Senhor, que eu veja.
42. Jesus lhe disse: Vê! Tua fé te salvou.
43. E imediatamente ficou vendo e seguia a Jesus, glorificando a Deus. Presenciando isto, todo o povo deu glória a Deus.
PUBLICIDADE
App Liturgia Católica
Voltar para o conteúdo